domingo, 24 de julho de 2011

Músicas próprias do 17º Domingo do Tempo Comum / Hebdomada XVII per annum

Cristo, na pala de ouro da basílica de São Marcos em Veneza.

Partituras:
Próprio autêntico (PDF)
Ofertório autêntico com Versículos (PDF)

Programa La Domenica con Papa Benedetto XVI, em que se oferece uma meditação sobre o tesouro que é o Reino de Deus a partir da arte sacra da Igreja e das palavras do sumo pontífice:




ANTÍFONA DE ENTRADA Salmo 67, 6-7.36

Deus vive na sua morada santa: Ele prepara uma casa para o pobre. É a força e o vigor do seu povo.


0:00 Deus in loco sancto suo, intróito do VII modo, pelos Cantori Gregoriani.



Outra interpretação do mesmo intróito, pelo eslovaco:



Outra interpretação, do Pedro Desmazeiros.

Comentário de Bruder Jacob sobre este intróito:
È uno dei dieci introiti in fa autentico (V modo) e inizia in modo inconsueto; traccia una linea discendente dal do al fa che conclude la prima semifrase (Deus - suo). La stessa traiettoria (do > fa) caratterizza anche l’ampia sezione iniziale della II frase (ipse - fortitudinem). Le altre due semifrasi – le seconde di ogni frase – ripropongono il tradizionale arco melodico: nel primo caso raggiunge l’apice mi, mentre nel secondo tocca il do. Alcuni tratti del percorso melodico si soffermano nella recita sul do (Deus in loco, inhabitare facit, ipse dabit virtutem).
L’attenzione musicale converge sulla parte centrale del brano “inhabitare facit un(i)animes”.
D-i-o costruisce uno spazio dove gli uomini possono ritrovare un luogo ospitale e rassicurante, una patria. È, questo D-i-o, il padre degli orfani e il giudice che difende i diritti delle vedove, come afferma per esperienza il salmista (sal 67) nella prima parte del versetto 6 che precede il testo dell’introito. È l’esperienza che si ripete nella storia d’Israel (Esodo 22, 21) e della società umana. Sempre alla ricerca dell’unico D-i-o, l’uomo si lascia sempre sedurre e attrarre dai miraggi di mille e mille idoli. Ma mentre noi veniamo meno al patto, LUI è fedele, edifica lo spazio vitale separandolo dal “mondo” per renderlo luogo suo e abitazione nostra.
Ogni qual volta il cantore pronuncia “inhabitare facit”, il suo canto toglie i veli che nascondono l’azione di D-i-o. Egli non abbandona l’uomo e trasforma i profughi sulla terra in cittadini di una nuova patria, concittadini dei santi. Tutti pellegrini nel deserto in cammino verso la terra dove scorrono latte e miele. Tutti membra palpitanti di una Chiesa che è “testimonianza viva di verità e di libertà, di giustizia e di pace” (preghiera eucaristica V/C).
Lo sguardo di D-i-o si rivolge agli un(i)animes che sono “derelitti” – come alcuni traducono – nel senso che si tratta di noi, persone concrete, spesso abbandonati, senza famiglia, sbandati, emarginati, rifiutati, solitari e isolati. Ma lo stesso vocabolo ci conduce oltre, apre l’orizzonte a nuove prospettive. La casa di D-i-o è certamente asilo sicuro nella precarietà. È soprattutto l’accademia della libertà interiore dove può accedere chi è di un solo pezzo, coerente e di un solo intendimento, anche quando tale atteggiamento può divenire motivo di condanna e di rifiuto.
Mentre si arrabatta per districarsi e liberarsi dai rovi del quotidiano, il cantore avverte con Davide che la propria debolezza non gli impedisce di affrontare con serenità il domani. Per due motivi. 
Il primo: è D-i-o che darà forza e vigore, “ipse dabit virtutem et fortitudinem”. Queste due parole si dilatano per quasi un’intera linea del Graduale Romanum, e gli abbellimenti che fioriscono le singole sillabe dicono l’insistenza e la trepidazione nel comunicare agli altri quanto D-i-o ha compiuto e realizzerà. “Grandi cose ha fatto in me e per me l’Onnipotente”.
Il secondo motivo: l’intervento dell’Altissimo interessa una singola persona, ma in realtà si rivolge a tutto il popolo (plebi tuae). Non si è isolati nell’itinerario di fede e nell’impegno sociale. Si è parti di un corpo vivo, si è corresponsabili della società in cui ci troviamo, per caso o per nostra scelta o per costrizione. Prima di tutto si è membra della persona mistica che è la Chiesa. Con tutto ciò che le due condizioni comportano.
2013-07-28


ORAÇÃO COLECTA
Deus, protector dos que em Vós esperam, sem Vós nada tem valor, nada é santo. Multiplicai sobre nós a vossa misericórdia, para que, conduzidos por Vós, usemos de tal modo os bens temporais que possamos aderir desde já aos bens eternos. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.

LEITURA I Ano A 1 Reis 3, 5.7-12
Leitura do Primeiro Livro dos Reis
Naqueles dias, o Senhor apareceu em sonhos a Salomão durante a noite e disse-lhe: «Pede o que quiseres». Salomão respondeu: «Senhor, meu Deus, Vós fizestes reinar o vosso servo em lugar do meu pai David e eu sou muito novo e não sei como proceder. Este vosso servo está no meio do povo escolhido, um povo imenso, inumerável, que não se pode contar nem calcular. Dai, portanto, ao vosso servo um coração inteligente, para governar o vosso povo, para saber distinguir o bem do mal; pois, quem poderia governar este vosso povo tão numeroso?». Agradou ao Senhor esta súplica de Salomão e disse-lhe: «Porque foi este o teu pedido, e já que não pediste longa vida, nem riqueza, nem a morte dos teus inimigos, mas sabedoria para praticar a justiça, vou satisfazer o teu desejo. Dou-te um coração sábio e esclarecido, como nunca houve antes de ti nem haverá depois de ti».
Palavra do Senhor.

SALMO GRADUAL RESPONSORIAL Salmo 28(27),7.1
O meu coração confiou em Deus, e Ele socorreu-me;
a minha carne refloresceu, e hei-de louvá-lo de todo o coração.
V. Clamo por Vós, Senhor, meu Deus; não fiques surdo à minha voz. Não me abandones.

LEITURA II Ano A Rom 8, 28-30
Leitura da Epístola do apóstolo São Paulo aos Romanos
Irmãos: Nós sabemos que Deus concorre em tudo para o bem daqueles que O amam, dos que são chamados, segundo o seu desígnio. Porque os que Ele de antemão conheceu, também os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho, a fim de que Ele seja o Primogénito de muitos irmãos. E àqueles que predestinou, também os chamou; àqueles que chamou, também os justificou; e àqueles que justificou, também os glorificou.
Palavra do Senhor.

ALELUIA Exsultate Deo  cf. Salmo 80,2.3

Exsultai em Deus, nossa força, rejubilai no Deus de Jacob. Cantai um salmo alegre com a cítara.




EVANGELHO Ano A – Forma longa Mt 13, 44-52
Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Mateus
Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: «O reino dos Céus é semelhante a um tesouro escondido num campo. O homem que o encontrou tornou a escondê-lo e ficou tão contente que foi vender tudo quanto possuía e comprou aquele campo. O reino dos Céus é semelhante a um negociante que procura pérolas preciosas. Ao encontrar uma de grande valor, foi vender tudo quanto possuía e comprou essa pérola. O reino dos Céus é semelhante a uma rede que, lançada ao mar, apanha toda a espécie de peixes. Logo que se enche, puxam-na para a praia e, sentando-se, escolhem os bons para os cestos e o que não presta deitam-no fora. Assim será no fim do mundo: os Anjos sairão a separar os maus do meio dos justos e a lançá-los na fornalha ardente. Aí haverá choro e ranger de dentes. Entendestes tudo isto?» Eles responderam-Lhe: «Entendemos». Disse-lhes então Jesus: «Por isso, todo o escriba instruído sobre o reino dos Céus é semelhante a um pai de família que tira do seu tesouro coisas novas e coisas velhas».
Palavra da salvação.

ORAÇÃO SOBRE AS OBLATAS
Aceitai, Senhor, os dons que recebemos da vossa generosidade e trazemos ao vosso altar, e fazei que estes sagrados mistérios, por obra da vossa graça, nos santifiquem na vida presente e nos conduzam às alegrias eternas. Por Nosso Senhor.

ANTÍFONA DO OFERTÓRIO Exaltábo te Dómine cf Salmo 30(29), 2.3

Enalteço-te, Senhor, porque me salvaste e não permitiste que os inimigos se rissem de mim. Senhor, clamei a Ti, e curaste-me.
V.1. Senhor, retiraste dos infernos a minha alma, salvaste-me dos que descem ao lago.
V.2. Eu, então, disse, na minha abundância: não serei movido durante a eternidade: Senhor, na tua vontade providenciaste virtude à minha elegância.




ANTÍFONA DA COMUNHÃO
  • No Domingo do ano A, Simile est regnum celórum Mt 13,45.46
O Reino do Céu é semelhante a um negociante que busca boas pérolas. Tendo encontrado uma pérola precisosa, vende tudo quanto possui e compra a pérola.



Lêde o comentário de Tiago Barófio a esta antífona de comunhão (PDF)
  • No Domingo do ano B e em todos os dias da semana, Provérbios 3,9.10, Honóra Dóminum de tua substántia:
Honra o Senhor com os teus haveres e com as primícias de todos os teus rendimentos. Então, os teus celeiros encher-se-ão de trigo e os teus lagares transbordarão de vinho.



  • No Domingo do ano C, Lc 11,9.10, Petite et accipiétis
Pedide e ser-vos-á dado; procurai e achareis; batei e abrir-se-vos-á; porque todo aquele que pede, recebe; quem procura, encontra, e ao que bate, abrir-se-á. Aleluia

ORAÇÃO DEPOIS DA COMUNHÃO
Senhor, que nos destes a graça de participar neste divino sacramento, memorial perene da paixão do vosso Filho, fazei que este dom do seu amor infinito sirva para a nossa salvação. Por Nosso Senhor.

Sem comentários:

Enviar um comentário