sábado, 15 de fevereiro de 2014

Missa de S. Josemaría Escrivá de Balaguer, 26 de Junho


Introitus Gaudeámus, in Missa S. Iosephmariae Escriva de Balaguer, Presbyteri, 26 iunii.
Cântico de Entrada para a Missa do Santo Fundador do Opus Dei. Descarregai o PDF daqui.

O texto da antífona de entrada que encontrei para a solenidade do Padre (aqui) é Jeremias 3,15. Não conheço nenhum intróito gregoriano que use este texto. No entanto, o Graduale Romanum na página 531 (Proprium de Sanctis) prevê o seguinte:
In sollemnitatibus et festis, introitus Gaudeámus sempre cantari potest, si propria verba mysterii vel sancti celebrati facile in melodiam insereri possunt.
Que foi o que fiz. Na secção de cuius &c. coloquei sollemnitate para quando a Missa é celebrada solenemente (nos centros da Obra, etc.) e festivitate quando não. No versículo salmódico que vem depois da antífona coloquei o texto de Jeremias 3,15.

A notação é baseada na edição do Graduale Triplex, com os seguintes acrescentos da notação antiga:
  • linguetas na parte final dos neumas (podem estar virados para baixo, ou para cima) servem para pronunciar a articulação com a sílaba seguinte, p.ex. omnes, diem, cuius, etc.
  • episemas (traços verticais por cima ou por baixo dos neumas), aumentam a duração dessa nota, p.ex. celebrantes, Dei, etc. Os tt (tenere) por cima do tetragrama têm o mesmo valor.
  • Os cc (celeriter) querem dizer que a duração encurta. Os losangos pequenos também se cantam mais depressa.
  • Os losangos que parecem vírgulas (tristropha, p.ex. Amen) cantam-se como percussões (A-a-a-men).
  • Nos torculus initio debilis (omnes), que têm a 1ª perna mais débil, canta-se a 1ª nota mais depressa e com menos intensidade que as duas finais; ou então articula-se a consoante inicial da sílaba na 1ª nota.
  • O quilisma (nota tremida, Dei) canta-se mais depressa, ou tremulamente.

Sem comentários:

Enviar um comentário